Kurt Kraut

batendo tambor com o Ubuntu

Sobre Amadeu & Neves no Jô Soares

É arriscado escrever sobre isso no calor do momento, enquanto a comunidade brasileira está incendiada por esse assunto. Mas tenho que cumprir meu dever como colunista nesse site e tentar trazer algumas questões sobre o que podemos chamar de ‘incidente trágico’, televisionado na Globo hoje.

Sérgio Amadeu e Júlio Neves são nomes auto-explicativos na comunidade brasileira e dispensam apresentação. Assim como o Jô Soares que dispensa currículo: notório castrador de entrevistas. A sensação ruim que ficou depois da entrevista (curiosamente curta) não é raridade: muitos entrevistados já sairam daquele sofá mal compreendidos e muitas vezes negativamente expostos.

Primeiramente, temos que dar os devidos descontos a situação. Estar sentado naquela primeira fileira e de repente ouvir seu nome, com a banda começando a tocar e a platéia aplaudir deve dar um revertério nas tripas de embaralhar as idéias. É difícil falar sob tamanha tensão e responsabilidade. E o tiro saiu pela culatra.

Falar sobre ‘Software Livre’ para um público que mal sabe o que é ‘Software’ é uma tarefa árdua que exige palavras bem escolhidas e na medida certa, o que é difícil quando se é sempre interrompido pelo Jô Soares. Eu já comecei a bater com a palma da mão na testa quando o Jô começou a subverter a questão do livre versus gratuito e de ter plantado a semente da desconfiança de que o SL é uma armadilha comercial, assim como os empestiantes CDs da UOL e AOL que contemplavam como brinde um contrato e uma mensalidade à pagar.

Também o Amadeu foi muito infeliz (beirando o desgraçado, com todo o respeito se for possível) com os exemplos que deu. Ao falar que a Google usa Apache, e que Apache é Software Livre, Jô Soares fez a célebre pergunta ‘Então eu posso mudar o Google ?’ que foi respondida sonoramente como um ‘não’. Para um olhar leigo, os entrevistados foram jogados em contradição.

Resumo da ópera: quem nunca tinha ouvido falar em Software Livre agora não só sabe que ele existe e pior: tem idéias obscuras sobre ele. A Schincariol sabe muito bem o que é sofrer rejeição de quem sequer atende ao ‘Experimenta ! Experimenta ! Experimenta !‘… é catastrófico.

O que deveria ter sido dito naquela entrevista é o quão tecnologicamente o Software Livre é superior e como ele é uma boa alternativa para as pessoas em casa que são reféns de vírus, instabilidade e quebra de privacidade. Enfatizar que é um movimento social, que é ganhar controle do computador, que é economia com licenças e patentes, enfim, por aí vai.

No IRC, muitos clamaram por uma nova entrevisa, por uma ‘reparação de danos‘. Garanto que isso não ocorrerá. O Programa do Jô é muito avesso a ‘revival’ de assuntos. Vão levar anos para falar em SL denovo e isso é, se forem falar denovo. Não acho que bombardear de e-mails raivos o jo@globo.com irá surtir algum efeito.

O que acho que seria produtivo é uma contra-proposta, ou uma contra-entrevista. Me disseram que a entrevista durou cerca de 14 minutos. Que tal fazermos em áudio (ou até em vídeo) uma entrevista de mesma duração, com cenário parecido, roupas parecidas, um entrevistador gordo na plena qualidade de produção Hermes & Renato, talvez até com perguntas parecidas, em que as respostas são esclarecedoras e positivas quanto ao MOVIMENTO SOCIAL (e não armadilha econômica) chamada Software Livre ?
Quanto mais cômico for o vídeo, mais temos chances de embarcar no tal do marketing viral, ao ponto de ter pessoas mandando o vídeo em anexos por forward em e-mails, nicks de MSN e outras horrendices virtuais e fazer com que nossa mensagem atinja um número de pessoas tão abrangente quanto o incidente trágico televisionado hoje.

Alguém se candidata ?

About these ads

October 6, 2006 - Posted by | Planetas

54 Comments »

  1. Quanto à pergunta final, minha resposta é não. Mas gostei da idéia e acho faria sucesso no Youtube. Também fiquei descontente com a entrevista, e foi o que me levou a criar um tópico no Fórum Ubuntu-BR logo ao término dela. É uma pena, uma importante oportunidade foi desperdiçada.

    Comment by Gaijin | October 6, 2006 | Reply

  2. Coitado do SL, ele não merecia isso. ;\

    Comment by corvolino | October 6, 2006 | Reply

  3. pra mim a culpa é única e exclusiva do Jõ/Produçao do programa. eles simplesmente selecionaram as pessoas erradas para o que eles queriam debater, ou não souberam construir perguntas. As perguntas que eles faziam eram simplesmente para um publico leigo ao extremo, ter que explicar o que é software e hardware já quebrou o que os entrevistados tinham pra falar(se eles tinham algo meio que programado)… resumindo estou simplesmente decepcionado com o programa do Jo e com a impressão que foi passada para os “leigos”. vou parar por aki senão vai ficar do tamanho do post =D

    Comment by Felippe | October 6, 2006 | Reply

  4. alguém tem o vídeo?
    procurei no youtube e ainda nao achei!
    nao consegui ver :(

    Comment by Tiago | October 6, 2006 | Reply

  5. Queremos o KurtKraut no Jô Soares =D

    \o/

    Comment by Edgar Gabaldi | October 6, 2006 | Reply

  6. Muito boa idéia, Kurt!

    Dá pra fazer estilo aqueles croma key (não sei se escreve assim) e colocar o fundo do jô mesmo…

    Eu não tenho contato físico (não pensem besteira) com mais ninguém da comunidade… Mas se tiver alguém bom em edição de vídeo, daria até pra gravar separado e juntar… (tudo bem, idéia tosca)

    Só acho que faltou uma coisa no seu post: comentar aquele PM horrendo… Não tem como falar da entrevista sem falar daqueles TRÊS BLOCOS dedicados ÀQUILO…

    Abraços.

    Comment by Andre Noel | October 6, 2006 | Reply

  7. KurtKraut, eu vi a entrevista, ou a xatravista!!! Primeiro nem preciso falar porque, e concordo que antes de eles selecionarem o assunto, deveriam buscar mais informações sobre o mesmo, imagina uma equipe que o Jô tem atrás, e me pareceu uma entrevista tão contraditória, que de um lado vi o Jô “defender” o fato de livre não ser grátis, e que o “pessoal livre” cobra sim alguma coisa vendendo as caixas com cd e manual, e também que em 15 minutos como vai se explicar e abrir a mente do pessoal leigo que nem sequer respirava pra tentar entender o que seria Apache!!! Se eu não soubesse, iria achar que estavam falando dos índios da américa!

    Comment by Marcos V Bohrer | October 6, 2006 | Reply

  8. A idéia do vídeo é interessante, mas talvez inviável por seu custo. Uma solução similar seria alguém da comunidade responder decentemente, numa mensagem-circular, às perguntas feitas no programa e espalhar pela internet, a começar pela caixa postal dos entrevistados.

    Comment by Perícope | October 6, 2006 | Reply

  9. Acho que todos tiverem a mesma impressão sobre o programa. Horrivel e mau esclarecido.
    O que faz os softwares proprietários serem vendidos são as campanhas (marketing) sobre os produtos. Mesmo o window$ sendo um sistema proprietário caro, bugento entre outras coisas vender é a fama que ele adquiriu.
    Software livre é sim melhor, mais estavavel e alguma vezes até mais facil, mas quem vende o peixe do software livre ???
    As poucas pessoas que tentam metem os pés pelas mãos porque não planejaram como vende-lo, também pudera são programadores e não vendedores!
    A boa vontade de nossos amigos (da comunidade) foi nota mil, mas a falta de cuidado quando estão se expondo e expondo o software livre foi nota no máximo 1. Eles tinham que algum foco na apresentação, bastou uma pergunta e desviou o rumo da conversa para o google, como se o Jô não soubesse ou nunca tivesse usado. “Posso modificar o google?? “, mas é claro que não.
    Bem acho que a ideia do video é bacana mas façam um planejamento antes de sair gravando qualquer coisa. Vocês planejam antes de criar softwares certo?? Então por que não fazer o mesmo antes de ir falar em público. Prove que é melhor o window$ não consegue isso mesmo sendo pior??

    De qualquer maneira foi bom ficar acordado até mais tarde. Grande abraço a todos.

    FreeBsd na cabeça !!!

    Comment by Valdinei dos Santos | October 6, 2006 | Reply

  10. Realmente eu esorava mais sobre a tão vasta cultura tecnologica do jô soares, ainda mais ele que se mostra tão culto, dispotou um lugar na academia brasileira de letras e pôe em cheque o seu nível de intelecto com perguntas tipo:” se ele é livre então eu posso mudar?”…será que ele não sabe que para mudar(melhorar) um software ele precisa pelo pelos tem conhecimento disso? como ele quer mudar algo que ele não domina?? pelo menos poderia ser mais humilde em dizer não acham?
    E outra coisa: a Rede Globo em peso é microsoft. Todos, digo quase todos os S.O´s são microsoft. ela tem um gasto de milhões com a IBM (empresa terçeirizada que agrega o quadro de apoio tecnologico)e Microsoft, com suas dezenas de chega a proximaidade de 4.567 licenças microsoft. dá para acreditar?. Bem, é isso.

    Comment by Jefferson Julio | October 6, 2006 | Reply

  11. Kurt, eu acho que a ideia do audio é bem mais viável, fazia algo como podcast do ubuntubrasil.

    Comment by Yuri Malheiros | October 6, 2006 | Reply

  12. Acho que seria mais interessante expor o software livre e toda sua filosofia em um programa mais ligado área. Se alguem conseguisse espaço no Olhar Digital (RedeTv, acho), seria uma ótima oportunidade. Seria pequenas matérias mostrando aos poucos os conceitos por trás da filosofia e do mundo do software livre, depois quem sabe a partior dessa pequena semente ganhariamos espaço maior na midia, soh que ai jah teriamos desmistificado o conceito de software livre e poderiamos realmente mostrar pq ele é bom e veio pra ficar..

    Comment by edivaldo | October 6, 2006 | Reply

  13. Já respondi isso no fórum, e repito aqui: o Jô é inocente! Enquanto esses “especialistas” continuarem a insistir que “Open Source” e “Free Software” são a mesma coisa, a cultura de liberdade não deixará de levar essas rasteiras. Tudo o que vi me leva a concluir que o Amadeu revelou-se partidário desse grupo que quer vender uma coisa por outra, e não tem nenhum compromisso com os verdadeiros propósitos do software livre…

    Comment by GDA | October 6, 2006 | Reply

  14. Kurt, vi a entrevista ontem e foi o primeiro assunto aqui na empresa, logo cedo. O que vi ontem foi realmente um desastre em questão de marketing para o SL. Vejo pelos comentários que a maioria são pessoas ligadas a área de tecnologia, e isso infelizmente dificulta a imparcialidade em temas como esse. A entrevista do Jô foi como qualquer outra dirigida ao seu público, isto é, se o assunto rola ele da corda se não ele corta. Penso que os entrevistados tem que estar ali preparados para passar o seu recado, principalmente porque normalmente o assunto é sobre o que eles conhecem, e bem não é? assim os entrevistados principalmente o Amadeu, deveria estar preparado para uma entrevista para um público leigo, que quer saber se ele não precisa mais “Piratear” para fazer seu trabalho no computador, com no mínimo a mesma qualidade, no meu ponto de vista esta é a mensagem que deveria ser passada, porém enquanto o pessoal que defende SL estiver no campo ideológico e não no comercial, vai ser igual a briga entre a “Esquerda radical e a Direita Conservadora”.

    Comment by Sergio Lopes | October 6, 2006 | Reply

  15. A entrevista foi péssima além de curta. Parece que cortaram logo porque a produção não gostou do caminho que estava indo.

    O Jo não perdeu um segundo da vida dele pra estudar o assunto, se ele digitasse “software livre” no Google antes de ir pro programa saberia que software livre não é gratuito, coisa que ficou questionando o tempo todo.

    O Sérgio Amadeu também não ajudou muito, extremamente confuso e não conseguiu manter uma linha de raciocinio por mais de 3 segundos. Falar “compilar” em um programa como aqueles é pedir pra não ser entendido mesmo.

    O tiozão fantasiado de super herói thrash e cantando um punk rock com letras pra lá de toscas e engraçadas chamou muito mais atenção, pra infelicidade do software livre que não vai ter outra chance dessas por um bom tempo.

    Comment by Vinícius de Figueiredo Silva | October 6, 2006 | Reply

  16. Os 14 minutos de entrevista em audio realizado ontem noite no programa entrevistando Sergio Amadeu e o Julio Neves.

    http://www.linuxdicas.com.br/article2323.html

    Comment by Hyperblade | October 6, 2006 | Reply

  17. Huahuahuahauha boa, essa ideia do video comico eh otimo!!! Tipo, underground msm, pra quem interessa ver o video, e com uma pauta, msm que for ensaiada…
    Precisamos de gente com tino artístico! E que saiba que software livre não eh sinonimo de gratis e que nao eh uma armadilha comercial

    Comment by MetalRufflez | October 6, 2006 | Reply

  18. Simplesmente revoltante aquela entrevista, acordei só para assisti-la e acabei dormindo revoltado. =\

    Eu sou a favor de se criar um clone do programa do jô e dibulgar no youtube.. eu sou meio palhaço, precisando ae soh procurar. :p

    Comment by Geo | October 6, 2006 | Reply

  19. Eu me candidato, e como sou “robusto” posso ser o Jô.

    HEHEHE

    Comment by André Simões | October 6, 2006 | Reply

  20. Bom, eu tinha aula no outro dia as 6 da manha fikei acordado para ver a entrevista do Software Livre e digo, me arrempendo de ter perdido o sono, achei SIM que o Jô estava muito mal preparado para receber estes entrevistados, mas também os entrevistados deviriam estar preparados para perguntas leigas e ataques ao software livre… Quando o Jô pergunto:
    “Mas existem softwares livre sendo vendidos” eles deviriam ter falado:
    Sim, mas quando dissemos que software livre tem que ser Gratís ? E outra coisa, se nao me engano, a licença (GPL) libera baixar de outras fontes o programa e intalar em seu computador, e isso nao será pirataria, caso eu esteja certo, isso deveria ser falado.
    Outra coisa qu eeu nao gostei,tanto Jô quanto os entrevistaram trataram o Linux como um unico sistema, que nao existem milhares de distribuições… Uma para cada necessidade de pessoa.

    Bom eu represento bem =P… Se quiser eu ajudo na estrevista…

    mas minha critica Final

    Ouve falte de preparo de ambos lados, o Jô por nao pesquisar 10 minutos sobre linux e SL e os Entrevistados por nao prepararem resposta a alturas de perguntas “Altamente Leigas”

    Comment by Jean Felliph Seren Franco | October 6, 2006 | Reply

  21. Quando o SL tem uma oportunidade muito boa de se espalhar pela população, e obter novos usuários, acontece que um gordo ridiculariza o SL em nome dos leigos de plantão, e dois nerds (naquele mal sentido que todos conhecem) não souberam se defender do mundo M$.

    Comment by voltage | October 6, 2006 | Reply

  22. Concordo com o Edgar Gabaldi:

    ” Queremos o KurtKraut no Jô Soares =D “

    Comment by Henrique | October 6, 2006 | Reply

  23. pelo que alguns escreveram aqui, tão mais afim de chamar o outro de gordo do que falar da desgraça que foi o negócio. (sim, sou gordo)

    Comment by joao | October 6, 2006 | Reply

  24. Deixo aqui o meu apoio sobre a produção do video…
    pena não poder encabeçar esse projeto.
    [s]

    Comment by Marcelo Andre Pedrazzani | October 6, 2006 | Reply

  25. Pessoal, como profissional de TI no governo, já tendo ouvido Sérgio Amadeu e Julio Neves em outras oportunidades, não me surpreendi com o resultado do imbróglio.
    Lembremo-nos que o Programa do Jô é “circo sem pão”, pois seu público não carece do segundo item. Alguém assistia ao Jô, ainda no SBT salvo engano, quando esse homem bem-nascido, culto, poliglota, conduziu uma entrevista seríssima com um “produtor de leite de jacaroa”?!?! Não lembro se foi o próprio Jô ou seu entrevistado a esclarecer, tempos depois, que jacaré é réptil…
    O que esperávamos?

    Comment by ffantinato | October 6, 2006 | Reply

  26. Foi simplesmente DEPLORAVEL…

    O Sergio Amadeu e o outro senhor se mostraram TOTALMENTE DESPREPARADOS para defender o SL.
    Nao souberam apresentar o conceito, o modelo, a filosofia… ficou a impressao de dois caras desoucupados que sao Usuarios aficionados do LINUX. O cara mais velho errou totalmente quando foi explicar ciclo de desenvolvimento… sem comentatarios.

    [audio src="http://www.linuxdicas.com.br/entrevista/jo_soares_x_software_livre.wav" /]

    []s
    Eric Melo

    Comment by ERIC MELO | October 6, 2006 | Reply

  27. A entrevista realmente foi ruim, mas não creio que tenha sido por culpa do Jô. A entrevista acabou ficando controversa e quase técnica; isso a torna chata demais para aguentar às tantas da madrugada. Fatos: isso é o que deveria ser jogado contra as perguntas feitas.

    Comment by Paulo Souza | October 6, 2006 | Reply

  28. Tudo bem…a entrevista não foi lá muito favorável….mas vocês estão super-estimando o programa do Jô! Se fosse no Jornal Nacional!

    Menos gente, menos!

    Comment by sergio lima | October 6, 2006 | Reply

  29. Já está no ar a entrevista. E vejam só: Colocaram apenas 3 minutos iniciais da entrevista. Eles simplismente não disponibilizaram toda entrevista para o público assitir na internet!

    No mínimo suspeito!

    Comment by LedStyle | October 6, 2006 | Reply

  30. [...] Internet é uma coisa mesmo fascinante. A blogosfera, em especial, é um fenômeno curioso. Ontem de manhã eu fui linkado pelo br-linux. Eu postei uma notícia sobre a campanha do KurtKraut para a comunidade produzir um vídeo de aproximadamente a mesma duração, contando a “verdade” sobre o SL. Ao invés de publicar minha nota (O que acho que foi uma decisão acertada, já que tratava minha opnião pessoal de uma forma pretensiosamente “imparcial”), ele publicou um link para meu blog. E, nossa, tive uma “enxurrada” de comentários. Em um só dia, foi mais lido e comentado do que todos os outros posts juntos. Pra vocês terem uma idéia: [...]

    Pingback by « Forma Sem Conteúdo | October 7, 2006 | Reply

  31. [...] Internet é uma coisa mesmo fascinante. A blogosfera, em especial, é um fenômeno curioso. Ontem de manhã eu fui linkado pelo br-linux. Eu postei uma notícia sobre a campanha do KurtKraut para a comunidade produzir um vídeo de aproximadamente a mesma duração, contando a “verdade” sobre o SL. Ao invés de publicar minha nota (O que acho que foi uma decisão acertada, já que tratava minha opnião pessoal de uma forma pretensiosamente “imparcial”), ele publicou um link para meu blog. E, nossa, tive uma “enxurrada” de comentários. Em um só dia, foi mais lido e comentado do que todos os outros posts juntos. Pra vocês terem uma idéia: [...]

    Pingback by « Forma Sem Conteúdo | October 7, 2006 | Reply

  32. Caros…

    Concordo que a entrevista que deveria ter sido esclarecedora, mas confundiu ainda mais a cabeça daqueles que são leigos e nunca ouviram falar em OpenSource, Software Livre, GNU, Linux…etc…etc….

    Minha sugestão é :

    Vamos abrir uma página comum ABAIXO-ASSINADO e lá deixar nossas assinunturas, emails, e comentários para validação do mesmo, com o OBJETIVO de uma SEGUNDA ENTREVISTA no Jô… e espalhar o link pela COMUNIDADE SL. Divulgá-la à exaustão ! E finalmente manadar o link com um email para o PROGRAMA DO JÔ, com nossa sugestão.

    Um abaixo-assinado, meu amigos, é um instrumento de identificação da vontade de um grande maioria e deve ser respeitado. Ele até modifica leis e propõe leis. Por que não para ter uma SEGUNDA ENTREVISTA no programa do Jô ??? Este senhor, pelo que me consta, é um comediante, e não um profundo conhecedor da SL. (o que não justifica o nível de suas perguntas)
    E o senhor Jô, com seu espírito democrático propalado “em verso e prosa” no programa que leva seu nome… não vai deixar de responder ao anseio de uma grannnnde comunidade.
    Acreditem que é por aí… a abordagem.
    Esta é minha sugestão. E sua implementação é fácil…fácil…para nós.

    Vamos fazer ???

    Sds.
    Márcia Guimarães
    (Brasil-BA-Salvador)

    Comment by Márcia Guimarães | October 7, 2006 | Reply

  33. [...] KurtKraut – Sobre Amadeu Neves no J [...]

    Pingback by edgabaldi.com » Blog Archive » Linux no J! | October 7, 2006 | Reply

  34. [...] Depois da infeliz entrevista do Amadeu e do Neves no Jô Soares, cheguei a conclusão definitiva, não sabemos oferecer o Linux. [...]

    Pingback by O Linux não chegará ao Desktop por Bruno Alves | October 7, 2006 | Reply

  35. Kurt,

    A idéia é bacana e se bem executada faria sucesso entre os fãs de FS, mas apenas entre eles.

    Seria quase impossível “contaminar” usuários comuns com uma mídia de conteúdo como essa deve ser.

    O marketing viral deve ser pouco ou nada dirigido e, de preferência, bastante banal. Veja o exemplo do chocolate Twix: é bem cretina a propaganda, mas se você gritar “caramelo” na rua com certeza ouvirá “chocolate” e, pouco depois, “biscoito”.

    Concentremos nossos esforços em outra ação e provavelmente obteremos mais resultados.

    abraços

    Comment by absolut1983 | October 7, 2006 | Reply

  36. vcs tem que entender que em uma entrevista na globo , ainda mais no programa do jô, vc tem que falar pra ‘seres humanos’.. que não sabem oq é hardware nem software, que nunca ouviram falar de linux e etc

    essa idéia de fazer uma entrevista e espalhar na web só vai ser mais do mesmo e com certeza vai ter um milhão de vezes menos alcance que a entrevista no jô.

    e tá.. se o jô tivesse perdido 15 min do seu tempo pesquisando o que é software livre, as milhões de pessoas que estavam em casa teriam ficado ‘voando’ ;)

    Comment by maurelio | October 8, 2006 | Reply

  37. Meu muita sorte que eu não assisti a entrevista juro que até lutei para não dormir, mas pelos comentáriosnão foi a mais agradável… acho que quando vai se falar de outro software que não seja do “monopólio” Micro$oft, fica um pouco dificil para pessoas com menos instrução ou com menos convivio no mundo da informática. Seria interesante eles (Linux Magazine) começarem falando que o Linux é um sistema que não pega virus e ninguem te invade. Com isso uma das milhares de funções de Linux ele já tinha falado que é a segurança e confiabilidade desse sistema operacional, as pessoas ficariam impressionadas, quando o Jô pergunta o que é código livre ou qual a diferença Livre e Gratuito, simples livre é onde está disponivel o código-fonte para a alteração do software e Gratuíto é um sistema que não precisa de licença. Exemplo o RedHat é Livre porém não é gratuito, já o Ubuntu é livre e gratuito. =) Acho que é mais que necessário uma ‘revanche’, ou seja, que haja uma nova entrevista, mas que calem a boca do Jô Soares pq o cara me perguntar se ele pode alterar o fonte do google é brincadeira e sacanagem com a pessoa que está sendo entrevistada! Sem comentz.

    Comment by Thiago | October 9, 2006 | Reply

  38. Na minha opiniao a melhor maneira de divulgar o sftware livre, é simplesmente instalando na maior quantidade possivel de maquinas.
    A experiência que comecei a fazer e está dando resultados maravilhosos é a seguinte:
    Minha irmã é advogada e detesta computadores, aí ela comprou uma maquina com win xp piratao,apos um ano o norton dela (tb pirata) começou a reclamar renovação. Ela me chamou para solucionar o problema. Resumindo, bobeei e o micro dela começou com as malditas menssagens de programa ilegal.
    Aí ela me chamou de novo, e num surto psicótico, eu simplesmente beckapeei os docs dela, formatei e instalei o Ubuntu 6.06.
    Claro que ela, e minha sobrinha quiseram me matar.
    Daí fiz um acordo com as duas, se passados dez dias elas nao mudassem de idéia, eu reinstalaria o xp. Resultado, elas estao com o Ubuntu até hoje e ainda ganhei excelente propaganda gratuita para resolver o problema de software pirata, e de quebra, alguns clientes.
    Agora, eu não pergunto mais nada, as pessoas pedem pra resolver problemas de virus,lentidão ou outro problema do sistema, eu simplesmente resolvo do meu jeito (instalando Linux) e peço apenas para que a pessoa use uma semana ou dez dias, que caso ela não fique 100% satisfeita, apenas me tragam a maquina de volta, que reinstalo o sistema antigo sem cobrar, nem perguntar nada. Até agora só voltaram me trazendo outras máquinas e outros clientes.
    (só por curiosidade, cobro R$ 80,00 (oitenta reais) por máquina.)

    Comment by Paulo Sergio Bichara Matias | October 9, 2006 | Reply

  39. [...] Cito aqui o post do do KurtKraut no planeta ubuntu e dou o meu apoio na criação de um video viral… se pecisar de um gordinho, eu me candidato . postado @ 12:02 pm in [ Linux | Tecnologia | Software Livre | Sistema Operacional | nerdcore | conversa de bar | Blog ] [...]

    Pingback by Milhouse Blog » Software Livre ? | October 9, 2006 | Reply

  40. Bom pessoal, não to querendo defender o Jô, mais cá pra nós..
    Algumas empresas que defendem o SL estão entre as maiores empresas do mundo e faturam bilhões. RedHat / IBM / Google, etc.. etc…

    Então o Jô pensou: “Ninguém nestes empresas faz nada de graça, eles ganham e muito pra isto…”

    E cá pra nós. Quem não pensa assim??????

    t+

    Comment by Alessandro | October 10, 2006 | Reply

  41. thiago, sobre sua resposta gostaria de comentar alguns pontos:

    1. nao existe isso de sistema q nao pega virus e ninguem invade… o linux soh eh seguro por enquanto pq a base de usuarios ainda eh pequena e formada majoritariamente por gente que entende um pouco de informatica. ninguem vai perder seu tempo fazendo um virus pra 10% dos computadoresd quando eh muito mais facil fazer pra 90%

    2. que eu saiba, software gratuito tem licenca sim… o linux eh livre, gratuito e tem licenca… a existencia da licenca eh totalmente ortogonal a gratiodade ;)

    3. eu achei incrivel a pergunta do codigo fonte do google :P… eh uma sequencia logica… o google eh montado em cima do apache, que eh software livre… eu posso mexer no codigo do software livre… entao eu posso mexer no google? :P pra dizer a verdade, espero que isto sirva de licao, tem que falar pra seres humanos e nao pra pessoas ‘do meio’. o apache foi um pessimo exemplo, qual a porcentagem de pessoas no publico-alvo do jo sabe pra que cargas dagua serve um servidor web? :P

    4. sobre a questao do dinheiro ele deveria ter dito a verdade… claro que eles fazem isso por dinheiro! mas vc paga pelo servico e nao pela informacao. qualquer sistema livre tem seu codigo disponivel pra download, de forma q qlq um possa utilizar sem pagar, desde que seja habilitado o suficiente para conseguir usar…

    Comment by maurelio | October 10, 2006 | Reply

  42. Muito boa a idéia de realizar a contra-entrevista. Pois também vem a tona, a questão de liberdade para criar e modificar o debate.
    Um debate bom, acredito é o debate em que se pode discutir abertamente e sem censura as idéias e que várias pessoas podem participam, seja perguntando ou respondendo.

    Comment by Ariane Paola | October 11, 2006 | Reply

  43. O blog bombou nesse post hem Kurt ;)

    Comment by freakcode | October 11, 2006 | Reply

  44. Jô Soares é quase sempre babaca em suas entrevistas, so que nessa, infelizmente, ele conseguiu ser babacao ao dobro. Creio que da plateia poucos, ou ate nenhum sabia o que era um software livre, e quem sabia e esperou ansioso em casa pra ver a entrevista, foi surpreendido com aquela coisa engessada e patetica. Realmente, vamos apelar pra o You Tube e fazer uma satira do Gordo com direito a Bira, Derico.. beijinho e tudo mais.

    Comment by PulimBatata | October 11, 2006 | Reply

  45. [...] Nâo quero me estender em comentários muito elaboroados, até porque alguns já fizeram melhor do que eu seria capaz, mas tenho algumas considerações pessoais a fazer: [...]

    Pingback by Software livre no Programa do Jô | terreiro.net | October 13, 2006 | Reply

  46. O Jô, apesar de culto é uma chato de galocha, que quer mostrar sempre para seus fans que sabe mais que os entrevistados e, no assunto Linux, mostrou que não sabe nada. O seu falso ecletismo é sempre apoiado pela equipe de produção, antes de qualquer entrevista, aparecendo como um expert em tudo. Só que desta vez houve um total desinteresse por parte da Globo, usuária feroz da Mycrosoft e o Gordo só disse merda. Conclusão: Entrevistador e entrevistados foram mal preparados.

    Comment by Sevrale | October 15, 2006 | Reply

  47. eu achei o seguinte…o Jô Soares fez perguntas que qualquer utilizador leigo de windows faria, e a pergunta da edição do google tinha logica, e de facil resposta, mas os entrevistados (principalmente Sérgio Amadeu)não estavam preparados ou emocionados diante das cameras, por isso não adianta criticar o programa, produção, rede globo ou qualquer outro, pois o povão quer ouvir a linguagem falada, uma explicação basica faria a diferença, e não palavras como “compilar”.

    Comment by Slack | October 19, 2006 | Reply

  48. Poxa, eu vi a entrevista e não achei tão catastrófica assim como muitos têm comentado. Deu pra divulgar e saber um pouquinho sim sobre SL. Quem tem tendência de gostar do assunto, vai acabar pesquisando a respeito.

    Comment by Júnior Madrigal | October 22, 2006 | Reply

  49. 48 comentários… mas tenho que deixar o meu tb.. :D
    Eu tive a infelicidade de assistir aquela entrevista e fiquei pasmo…
    Os entrevistados até podiam entender muito bem de Linux, e serem notórios na comunidade, mas não sabiam passar a mensagem de maneira que leigos pudessem entender.
    Além disso o Jô Soares foi um bosta… Ele parecia ter feito as perguntas para prejudicar os entrevistados e criar confusão.
    Acho que a sua idéia de refazer a entrevista seria genial, mesmo as perguntas poderiam ser as mesmas, desde que fossem pessoas que soubessem responder a essas perguntas para o grande público.
    Aqueles dois entrevistados deviam ter algo em mente antes de entrar no auditório: que eles estavam lá para falar sobre software livre para o público em geral, eles não estavam em uma convenção de software livre.

    Comment by Zohguy | November 17, 2006 | Reply

  50. Acredito que nao ira adiantar muito fazer isto visto que quem mal sabe oque e software nao vai perde tempo vendo um video no youtube sobre software livre. Orkut, MSN e videos do Jeremias sao muito mais atrativos, tinhamos que pensar em outra forma. Mas tambem, porque que queremos tanto fazer propaganda disso. O “lema do LINUX” nunca foi “Linux em todos os Desktops”.

    Comment by Fernando | November 23, 2006 | Reply

  51. Eu gostei mais do Karnal Desire. Li o post e cerca de 23 comentários e não sei a diferença entre software livre e software Plug And Play (Ligue E Use). “Cu de bêbado não tem dono” e algo como “120 mil programadores reunem-se para desenvolver um programa” foram as duas únicas coisas que eu ouvi de interessante na entrevista.

    Comment by James Couburn | December 29, 2007 | Reply

  52. [...] quero me estender em comentários muito elaboroados, até porque alguns já fizeram melhor do que eu seria capaz, mas tenho algumas considerações pessoais a [...]

    Pingback by Thiago Pedrosa – Software livre no Programa do Jô | February 9, 2008 | Reply

  53. [...] e o J? como conhecemos.N?o quero me estender em coment?rios muito elaboroados, at? porque alguns j? fizeram melhor do que eu seria capaz, mas tenho algumas considera??es pessoais a [...]

    Pingback by Software livre no Programa do J? - Thiago Pedrosa / Weblog | October 14, 2008 | Reply

  54. Creio que para divulgar o SL de forma correta devemos usar as mesmas armas de grandes empresas. Marketing e Press release pago e financiado pela comunidade.

    O fato de ser gratuíto deve ser sempre o último argumento. Nem pobre gosta de coisa barata.

    Nunca falar nada em entrevistas sobre kernel, servidores e aplicações profissionais, as empresas devem ser as últimas a serem atingidas, já que as que sabem o que é melhor já usam.

    Deve focar apenas o aspecto social e educacional pode ser que alguém ligue para isso.

    Citar OpenOffice, VLC, GIMP, WordPress, Firefox ou seja, o que a maioria das pessoas podem usar.

    Em um programa de televisão como o do Jô quanto mais superficial e divertido, melhor para nós.

    Comment by Silvio Pinheiro | April 7, 2010 | Reply


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: